1 de fev de 2011

Diferentes maneiras de dizer : "Tem luz no fim do túnel"

Otimista: "Olha lá gente! Tem luz! O túnel tá no fim!"

Pessimista: "Que saco. Luz. Aposto como é um trem."

Suicida: "Olha! Luz! Tomara que seja um trem!"

Politíco: " Se for eleito, prometo comprar mais túnel."

Sherlock Holmes: "Elementar meu caro Watson. Se há luz é porque estamos no fim do túnel."

Cego: "O que é luz? E porque ela está no fim do túnel?'

Filósofo: "Há luz no fim do túnel, ou será que aquele não é o começo?"

Fotofóbico: "AAAAAHHH!!! LUZ!!!! NÃO!!!! Alguém aí tem óculos escuros?"

Google Maps: "Vá de caiaque até o fim do túnel."

Ufólogo: "Eles falaram a vida inteira que eu era maluco! Mas ali está a prova definitiva! Um OVNI! HAHAHAHAHA!!Espera aí... É só luz no fim do túnel..."

Almirante Ackbar: " It's a trap!"

Stalin: "Я люблю русских букв они очень весело."

Lula: "Companheiros e companheiras, nunca anteff na Hiftória deffe paíff fe viu um túnel que tiveffe tanta luf e luf de qualidade para todo o povo. Effa é mais uma conquifta noffa!"

Redundante: "Tem luz no fim do túnel."

Confuso: "Tem túnel no começo da luz."

Perdido:"A luz tá pra direita ou pra esquerda?"

Teoria da conspiração:"Aposto que é uma bomba americana."

Egípcio: "Mubarak saiu!!"

Deus: "Faça-se a luz no fim do túnel"

31 de jan de 2011

Que vilão seria seu (ex) presidente favorito?

Queria esclarecer alguns detalhes. Eu só vou lidar com os presidentes eleitos de 85 para cá. Não tenho tempo para fazer um levantamento de todos os presidentes do Brasil (mas se me pagarem eu aceito). No final, uma surpresa e uma "homenagem" aos políticos. Sem mais delongas, eis aí meu texto!

José Sarney: Provavelmente o mais fácil. Sempre por cima, sempre no poder, há mais de 50 anos apoiando o presidente, qualquer que seja. Um homem como esse acumula muito poder. E pelos métodos que ele emprega, podemos facilmente compara-lo a... Don Corleone. Isso mesmo, o Poderoso Chefão. Um homem que sabe escolher seus aliados, compensá-los com favores e punir seus inimigos. Graças a essa capacidade o Don Corleone tropical chegou novamente ao comando do Senado e é praticamente impossível governar sem tê-lo como aliado. Azar da Dilma.

Fernando Collor: Um homem ambíguo. Por um lado, foi um presidente radical. Chegou ao poder com a alcunha de "caçador de Marajás" e uma imagem de cara super legal. Um presidente jovem e esportista que falava de igual para igual com os líderes das outras nações. Sua política econômica foi revolucionária e continua valendo até hoje. Por outro lado, roubou até cansar e depois roubou mais um pouquinho, mas cometeu o erro crasso de não dividir o butim com o resto do pessoal, mas sim com uma minoria seleta. Como resultado, tomou um impeachment, após ver a juventude brasileira tomar as ruas contra ele. Para um personagem tão ambíguo, ninguém melhor que Harvey Dent, o duas caras do Batman. Como promotor, foi aclamado herói de Gotham City e prometia revolucionar a cidade e pulverizar os indíces de criminalidade. Porém, após virar o Duas Caras, ele vai contra toda a sua luta apenas para aumentar o número de hóspedes do asilo Arkham e, quem diria, passa a ser odiado por quem outrora o idolatrava.

Itamar Franco: Ah, grande Itamar, que trabalho você me deu. Foi díficil arranjar um vilão que encaixasse no perfil de Itamar, mas por fim eu consegui. Itamar Franco, apesar de ter sido presidente durante o lançamento do Plano Real, não ficou com os louros da vitória. Essa parcela coube ao FHC, então Ministro da Fazenda. E até hoje, Itamar é mais lembrado pelo seu topete, assim como o obscuro Síndrome, do filme Os Incriveís (dica do Alcidess). Na história, Síndrome é um mega-gênio não reconhecido que tenta acabar com os super-heroís para finalmente obter reconhecimento. No final da história, restou apenas seu topete

FHC: O princípe dos sociólogos. Um cara rico, elegante, bem sucedido. Todos apostavam alto no governo FHC, que havia acabado de lançar o plano real. O governo foi até bom considerando o turbilhão que se passava no mundo, mas deixou a desejar justamente no quesito que todos esperavam: honestidade. Todos sabemos que politíca não é jogo de virgens, mas FHC destruiu de uma maneira inimagínavel assim como o... Duende Verde. Supervilão do Homem-Aranha, é na verdade um garoto rico, inteligente, bem-sucedido e com um belo emprego e crédito internacional que não o impediram de explodir coisas.

Lula: Um vilão improvável, dado ao seu histórico. Todos acreditaram que ele ia "entrar para somar", reequilibrar a balança do poder e acabar com a corrupção. Mesmo sendo corrupto igual aos outros, se "redimiu" ante a população com o Bolsa-Família e entrou para História como herói, assim como... Darth Vader. Vader é com certeza o vilão mais famoso da História do cinema. A Marcha Imperial causa arrepios em nove de cada dez nerds. Mas como Lula, ele não nasceu para ser vilão. Anakin Skywalker era o escolhido, que deveria destruir o lado negro e trazer equilíbrio à Força. Além de possuir a mesma voz de Lula, ele também se redime, embora para valer, matando o Imperador. Sem contar a famosa frase: "Dilma, eu sou seu pai."

Dilma: Eis aqui a surpresa! Vou traçar um perfil de Dilma Roussef. Inflexível, nossa dama de ferro não aceita critícas de seus subordinados e não hesita em fritar quem a desafia. Impossível esquecer que ela fez Sérgio Gabrielli, da Petrobrás, chorar, por exemplo, quando era "apenas" Ministra da Casa Civil. Seu temperamento lhe rendeu alcunhas como: Dilmandona, Dilmachona e Larry. Sua maneira de tratar os subordinados e a decisão com a qual galga degraus mais altos na escala de poder lembram... Victor Von Doom, o Dr. Destino, do Quarteto Fantástico. Obcecado pela idéia de poder, sempre foi um chefe inflexível e após adquirir seus sinistros poderes, não hesitou em fazer picadinho dos que não concordassem com ele.

E, embalado pelo som viciante dos Titãs, eis aqui minha pequena homenagem aos nossos queridos politícos que tanto lutam por nós na Câmara. Boa noite e espero que tenham gostado