2 de nov de 2010

Auto Mode On

Um robô! Um robô! Um autômato!

Ele voou para dentro da sala, atirando tudo que estava em sua frente, em seu caminho de iras desmedidas.

Todos os miseráveis dias, acordava às miseráveis cinco da manhã para chegar à seu miserável emprego em tempo.

Dava bons-dias miseráveis para todas as miseráveis pessoas que estavam naqueles malditos elevadores.

Porque? Ele não sabia.

Ele já não pensava, apenas agia.

Não passava de um robô.

Ele se resignou e ligou a tevê.

31 de out de 2010

Eleições 2010

Esse domingo, o Brasil parou para assistir a um clássico. A final do campeonato levou milhões de brasileiros as ruas para torcer por seu time preferido.

De um lado, trajando o tradicional uniforme vermelho carimbado com a estrela solitária, estava Dilma, artilheira da equipe treinada por Luís Inácio, o Lula, um grande craque dos gramados que faz sua estréia fora das quatro linhas.

Do outro lado estava Serra, principal expoente de um dos times mais tradicionais do país, o Tucano F.C., trajando o seu conhecido uniforme azul. A equipe atualmente é treinada por... bem... hãããã... O Aécio é mineiro, vocês sabiam disso?

A equipe de Dilma, favorita, jogou em casa buscando mostrar que chavões tradicionais como: "clássico é clássico e vice-versa" e "clássico não tem favorito" estavam errados. Apesar do treinador Luiz Inácio, o Lula e de Dilma terem mantido um discurso de humildade durante as entrevistas, o clima dentro do vestiário era outro e os jogadores já festejavam o título cantando "Vice de novo" antes do jogo começar, de acordo com o parceiro de ataque de Dilma, Temer Fenômeno.

Do outro lado, o clima era de otimismo. Apesar de não terem mando de campo, os jogadores do Tucano estavam confiantes na presença de sua sempre fiel torcida e esperavam acabar com esse jejum incomodo de oito anos sem título. "Naquela época, eles tinham o Lula do outro lado campo. Ele era imarcável. Com todo respeito a Dilma, que é colega de profissão e grande jogadora, mas não dá meio Lula" disse o novato Indío da Costa, responsável por comandar o ataque junto a Serra e um dos mais otimistas do grupo.

Apesar de ter atacado o jogo inteiro, marcando o time adversário em cima os 90 minutos, a equipe de Dilma só conseguiu a vitória no finalzinho, mas conseguiu construir boa vantagem no final.

Como não podia deixar de ser, a torcida de casa saiu festejando animada, lembrando aos visitantes, que já estão há oito anos sem título, que eles hão de amargar mais quatro anos na fila.

Sobre o resultado, Dilma falou: " Foi um resultado muito justo, a equipe jogou bem, a gente fez tudo que o professor mandou, marcamos em cima o tempo todo faturamos os três pontos. Em time que está ganhando não se mexe".

Já Serra se limitou a dizer que " se fosse uma queda de braço eu teria ganho".